De ônibus até o Peru! Resumo de 16 dias de roadtrip pela América do Sul

Em janeiro de 2018 participamos de uma excursão rumo ao Peru passando pelas paisagens mais loucas que pudemos ver e vivenciar, chamada Circuito Inca. Foram nada menos que 16 dias viajando de ônibus pela Argentina, Chile e Peru, rodando quase 8.000km em busca de lugares surreias (e lhamas, no meu caso). Passamos por perrengues também, claro! Vem ver o resumão dessa viagem que ficou marcada pra vida!

A excursão tinha seu início em Porto Alegre, mas nossa viagem iniciou em Blumenau, cidade onde vivemos atualmente. As 7:30 da manhã do dia 24/01/2018 partimos de Porto Alegre para a primeira parada, Salta, na Argentina.


Mas antes de continuar, dá uma olhada no vídeo que fizemos dessa trip incrível:


1ª parada: Salta (ARG)

Porto Alegre a Salta foi o maior trecho da parte da ida da viagem, foram pouco mais de 24h de viagem. A cidade é bem simples e não foi uma parada para turistar e sim para que pudéssemos seguir viagem mais descansados. Almoçamos na praça principal da cidade e ficamos por ali até o final da tarde. Saímos do hotel por volta das 2h da manhã para cruzar a Cordilheira dos Andes com destino a San Pedro do Atacama.


O mal de altitude é real e quando cruzamos a cordilheira já começamos a sentir um pouco dos sintomas, nosso ônibus estava equipado com chá de coca e chá de chachacoma (muito fedido, porém com gosto suportável e mais eficaz que o de coca haha) e funciona mesmo!


2ª parada: San Pedro de Atacama (CHI)

Ficamos em San Pedro por 4 dias. A cidade é pequena e não tem muita estrutura. O centro possui ruas de barro e é onde ficam os restaurantes (La Pica Del Indio foi nosso preferido), bares, agências vendendo passeios e essa feirinha da foto.


Por ficar no deserto, o clima é muito seco e se torna indispensável levar colírio, soro para o nariz e se hidratar bastante.


Não deixe de conhecer no Atacama:

Geisers del Tatio

Lagunas Altiplânicas

Piedras Rojas

Trópico de Capricornio

Deserto de Sal

Flamingos! Laguna Chaxa

Lhamas!

Valle de la Luna

Valle de la Muerte

Termas de Purytama


Dica: Para fazer o passeio Tour Astronômico, recomendo entrar em contato por e-mail antes da viagem, o número de pessoas costuma ser limitado e lota muito rápido. Entrei em contato com a agência Space para reservar nossa vaga. O pagamento seria no dia do passeio mas infelizmente por questões climáticas (sim, choveu no deserto) não conseguimos fazer o passeio.


Obs: Fique atento também ao clima de alguns dos passeios que você for fazer. No passeio dos Gêisers, por exemplo, pegamos uma temperatura de -9°C durante o início da manhã. No próximo post explicarei as particularidades de cada passeio ♡

3ª parada: Arica (CHI)

Nossa última parada no Chile foi em Arica, cidade litorânea próxima da fronteira com o Peru. A cidade é super colorida e animada, com uma rua principal com vários restaurantes e comércio em geral. O clima é bem mais ameno que no deserto com temperaturas médias em torno dos 20°C. Um dos pontos mais legais é o mirante que fica no Morro de Arica.


Dica: como era nossa última parada no chile, aproveitamos Arica para trocar nossa moeda para soles (moeda peruana). 


4ª parada: Puno (PER)

Foi nosso primeiro contato com o Peru. Conhecemos o Lago Titikaka, lago navegável mais alto do mundo com 3.810m acima do nível do mar. É onde ficam as Islas de los Uros, conjunto de ilhas flutuantes feitas com raízes de Totora. É possível também visitar a Isla Takile, porém nosso tempo estava curto e optamos por fazer o passeio mais curto.

5ª parada: Cusco (PER)

Ficamos 4 dias em Cusco, que fica no Vale Sagrado dos Incas. A área da Praça de Armas é a região central da cidade, onde você encontra restaurantes, fast-foods, comércio e venda de artesanato e passeios.


Obs: Como o fluxo de pessoas pelas ruas de Cusco é maior por conta do turismo, é bom sempre tomar cuidado com os seus pertences.


Não deixe de conhecer na região de Cusco:

Salinas de Maras

Sítio Arqueológico Moray

Mercado Público

6ª parada: Ollantaytambo (PER)

Saímos de Cusco com destino a Ollantaytambo, única cidade inca ainda habitada, onde fica a estação de trens que levam até Águas Calientes. O vilarejo tem um visual deslumbrante e seu sítio arqueológico conta com terraços e o Templo do Sol. Passamos apenas meio dia na cidade, antes de pegar nosso trem por volta das 14:30, mas acredito que vale a pena passar ao menos uma noite em Ollantaytambo e passear pelas ruas e feirinhas com mais tempo.

7ª parada: Águas Calientes | Machu Picchu pueblo (PER)

Morro do Machu Picchu | Águas Calientes | Peru

Após Ollantaytambo, seguimos de trem até Águas Calientes, também conhecido como Machu Picchu pueblo, onde passamos a noite. No dia seguinte acordamos cedinho para conhecer o Machu Picchu!


O ingresso para o Machu Picchu te dá o direto de ficar até 4h no parque, podendo entrar duas vezes. Uma vez que você entra, é obrigado a seguir no caminho guiado até a saída. Por isso, faça primeiro a visitação e preste atenção às explicações e depois entre de novo para fazer fotos nos seus pontos favoritos com mais liberdade.


Inca Rail | Ollantaytambo ➙ Águas Calientes

Machu Picchu ♡

8ª parada: Cusco (PER)

Voltamos para Cusco e no nosso último dia livre optamos por fazer o passeio da Montanha Colorida (ou Arco Íris, se preferir). O passeio conta com um visual imperdível em uma altitude de mais de 5.000m acima do nível do mar. O percurso é de mais ou menos 5km de subida, então vá preparado e com calma, porque a altitude pesa mesmo!

Montanha Colorida | Peru

9ª parada: Tacna (PER)

Tacna foi nosso ínicio da volta para o Brasil. Última noite no Peru que usamos para descansar, já que nossa próxima parada seria apenas na Argentina.


Cruzando o Chile

No nosso trânsito pelo Chile, passamos por algumas situações desconfortáveis. 1- a neve que fechou parte da via na cordilheira e nos deixou quase 9h parados, o que atrasou muito a viagem e tirou Purmamarca (ARG) do roteiro. 2- Quando finalmente a via foi liberada, a imigração do chile nos prendeu na fronteira por mais algumas horas. Por isso, tenha em mente que fazer uma viagem por terra pode ter seus imprevistos e mantenha sempre um lanchinho na bolsa em caso de neve na pista haha

Cordilheira dos Andes | Chile


Troca de moedas

Pagamos os valores referentes à excursão e passeios no Brasil e levamos o restante (aproximadamente R$ 2.000,00 por pessoa) em reais. Como eram muitas moedas, preferimos trocar aos poucos e somente o necessário para não perder dinheiro no câmbio.


Posso dizer com toda certeza que o Circuito Inca vale MUITO a pena! E você, já viajou de ônibus por aí? Me conta nos comentários suas experiências ♥

Pin it!

2 Comentários

  1. Anderson Pinheiro Zago
    2 de julho de 2019 / 21:54

    Achei o post muito bom! Qual o site e preço da agência que fez o translado?

    • Laura
      Autor
      8 de julho de 2019 / 22:19

      Oi Anderson! Fizemos com a visual tour, segue facebook deles: https://www.facebook.com/visualtur/
      Quando fechei a viagem entrei em contato pelo facebook mesmo e eles me passaram todos os valores e roteiro certinho 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

instagram | @lauramogkf

2   126
17   183
5   147
31   331
3   110